fbpx
Compartilhe

A estratégia de aceleração digital da Via ganha mais um reforço. A dona das Casas Bahia, do Ponto, entre outras empresas, anuncia a compra da logtech CNT. Com o negócio, a Via pretende evoluir o projeto de implantação do fulfillment, além de entrar no segmento de fullcommerce. A ideia é oferecer um pacote único de soluções de logística para operação de e-commerce

Segundo fato relevante, o valor da transação, que não foi divulgado, é composto por uma parcela fixa e uma variável (earn-out), condicionada ao atingimento de metas de desempenho e à permanência dos principais executivos da CNT à frente do negócio. Considerando apenas a parcela fixa do preço, a transação implica em um múltiplo de cerca de 0,20x GMV 2021.

Com o negócio, a Via espera melhorar o nível de serviço aos clientes e parceiros do marketplace da empresa, principalmente no que se refere à experiência de compra e velocidade de entrega de pedidos. Os serviços serão contemplados dentro do Envvias – plataforma de logística da Via para marketplace, promovendo sinergias com outra logtech adquirida, a ASAPLog.

“A transação traz diluição de custos logísticos e contribui para o aumento do NPS (Net Promoter Score) da Via; elevação do valor do cliente ao longo do tempo (LTV); e redução do custo de aquisição dos novos clientes (CAC)”, afirma a companhia no documento. 

De 1,2 milhão de m2 que a Via já possui em sua operação logística (excluindo as áreas das lojas), até 250 mil m2 serão alocados para operações de fulfillment e fullcommerce, servidos por uma frota de mais de 4.000 veículos e cobertura em todas as 5.570 cidades brasileiras. A empresa possui um ecossistema de mais de 1.100 lojas e 28 centros de distribuição. Já a CNT conta com dois centros de distribuição em Barueri (SP) e Serra (ES) e tem em sua carteira clientes como Goodyear, Gradiente, CIMED e Kraft Heinz.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões