fbpx
Compartilhe

A Alemanha é o melhor país para se trabalhar de forma remota – e o Brasil não está nem no Top 50. Essa é a conclusão do Índice Global de Trabalho Remoto, feito pela empresa de segurança cibernética NordLayer.

A pesquisa avaliou a atratividade do modelo em mais de 60 países com base em 4 pilares. Cibersegurança (infraestrutura, resposta a incidentes e medidas legais); condições econômicas e sociais (segurança, atratividade turística, domínio do inglês, custo de vida e assistência médica); infraestrutura física e digital (qualidade da internet, acessibilidade, infraestrutura eletrônica, governo eletrônico, infraestrutura física e espaços de coworking) e resposta à Covid-19 (taxas e resultados da vacinação).

“Levamos em consideração todos os parâmetros fundamentais que os países devem atender ao pesquisar os melhores países para trabalhar remotamente, avaliando minuciosamente uma série de dados. Nesse sentido, o Índice Global de Trabalho Remoto é um excelente recurso para funcionários remotos que desejam se mudar ou trabalhar em um país diferente daquele de sua residência atual”, afirma Juta Gurinaviciute, diretora de tecnologia da NordLayer, em comunicado.

Atrás da Alemanha no ranking geral está a Dinamarca e os Estados Unidos, seguidos da Espanha e Lituânia. Fecham o Top 10 a Holanda, Suécia, Estônia, Singapura e França. Na sequência, estão Coreia do Sul, Canadá, Polônia, Bélgica, Finlândia, Eslováquia, Reino Unido, Portugal, Austrália e Japão.

E o Brasil nessa história?

Por aqui, cada vez mais startups estão abrindo vagas de trabalho 100% remoto. A healthtech Pipo Saúde está contratando para as áreas de tecnologia e produto, em posições como engenheiro de software, tech lead, engineer manager, head de dados e product manager.

A plataforma de coworkings BeerOrCoffee oferece como benefícios o anywhere office, para que os colaboradores possam trabalhar de qualquer lugar. A companhia tem vagas abertas para a área de tecnologia, financeiro, experiência do cliente, análise de dados, marketing, pessoas e cultura e supply.

Quem também aderiu ao home office é a Tractian, epecialista em sistemas de monitoramento industrial, que está em busca de profissionais das áreas de vendas, tecnologia, marketing e desenvolvimento de produtos. Já a Alinea Health, de soluções para a saúde corporativa, está com novas vagas para cargos remotos como analista de recrutamento e seleção, desenvolvedor backend, product manager e staff engineer.

Apesar da tendência, o Brasil é o número 51 de um total de 66 países no ranking. Na parte de cibersegurança, nossa pontuação é de 0.491. Para se ter um comparativo, a Eslováquia, que tem o melhor resultado nessa categoria, pontua 0.979 e a Alemanha, 0.967.

Em condições econômicas e sociais, o Brasil fez 0.663 pontos, contra 0.786 do Canadá, 0.781 do Reino Unido e 0.777 de Portugal. Quem lidera o pilar de infraestrutura física e digital é a Coreia do Sul, com 0.875 pontos, enquanto o Brasil tem 0.556. Por fim, fizemos 0.69 pontos na análise de resposta à Covid-19, ante 0.872 nos Estados Unidos e 0.861 da Tailândia.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões