fbpx
Compartilhe

As menções a demissões em massa nas startups explodiram no segundo trimestre deste ano em conversas envolvendo influencers no Twitter, com um aumento de quase 200% entre abril e junho, segundo a empresa de análise de mercado e dados GlobalData.

Segundo a empresa, as menções a layoffs – termo em inglês usado para descrever passaralhos, também utilizado com frequência no Brasil em tentativas de dourar a pílula das demissões em massa – registraram um pico na segunda semana de junho, quando a Coinbase anunciou que demitiria 18% da sua força de trabalho global em meio à crise das criptomoedas.

“A maioria dos sentimentos dos influenciadores é negativa sobre o aumento esperado de demissões em massa relacionadas a possibilidade de uma recessão econômica. Eles esperam mais demissões no curto prazo, já que as empresas estão em apuros com suas margens de lucro, pois são pressionadas por fatores macroeconômicos globais, incluindo inflação mais alta,” diz Smitarani Tripathy, analista na GlobalData.

Entre os influenciadores do ecossistema global de startups no Twitter que tem dito que o pior ainda está por vir está Elad Gil, que um dia vendeu sua startups Mixer Labs para o Twitter e hoje é um dos VCs mais aclamados do Vale do Silício. Com uma audiência de mais de 104 mil seguidores na rede, Elad disse que as demissões em massa “estão apenas começando”.

“Muitas empresas estão planejando isso, mas ainda não apertaram o gatilho. Veremos mais layoffs nos próximos 1-3 meses e novamente em 6-9 meses. Muitas [empresas] ainda não fizeram cortes suficientes e terão que demitir mais pessoas daqui 6 meses”, aponta.

A Netflix, que também fez demissões em massa, esteve entre as empresas mais mencionadas em relação ao termo ‘layoff’ por influenciadores no Twitter durante o segundo trimestre de 2022. Os influencers falaram sobre como a empresa de streaming intensificou as demissões desde o início do segundo trimestre de 2022, e reorganizou sua estrutura além de cortar custos, depois de relatar sua primeira perda de assinantes em uma década.

Outra empresa que esteve entre as mais relacionadas a demissões em massa nas discussões no Twitter é a Tesla, que também anunciou que planeja demitir 10% de sua força de trabalho e interromper contratações em junho. O maior aumento nas discussões de influenciadores em torno da Tesla foi notado quando um ex-funcionário da empresa do bilionário Elon Musk entrou com uma ação contra a companhia de carros elétricos, alegando que ela violou a lei federal ao realizar a demissão em massa em junho.

OPINIÃO

Veja todas as opiniões